sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A bem da verdade, minto



Minto
Porque o tempo existe
Porque a saudade insiste
Em não me deixar.

Minto
Para que o sentir desapareça,
Para que se manche a pureza
Do meu inocente querer.

Porque o amor que é puro
Reflete no olhar a verdade
Que a mórbida humanidade
Dá de alimento ao sofrer.

Porque ao arder a ausência
É em chamas consumido
Lançado ao fogo do olvido
Incinerando o amor.

Sim, minto
Porque mente também a verdade
Ao pretender que a felicidade
É possível se eu te esquecer;.

Nenhum comentário:

Postar um comentário