quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Espiral




Sussurra ao ouvido o vento

Que perdido no bosque denso

Dos sentimentos confusos

Clareia o turbilhão do pensamento

Com uma palavra, “Amor”

Que é da loucura explicação

Do corpo o sangue

Do pecado expiação


E da serpente é o veneno

Que se não mata

Morre no intento

De entorpecer

Qualquer alento

Que não o puro amor


Porque não há valia

Em carinho ou paciência

Ou amizade ou alegria

Se, na verdade, a procura

É pelo que causa a dor eterna...

É pelo amor, que tanto fere

Quanto cura.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Campanha: Diga Não Ao Plágio!




A campanha de blogagem coletiva contra o plágio teve início em fevereiro de 2010.
Assim, resolvi dedicar minha primeira postagem do ano ao movimento
Estou aderindo à campanha Diga Não Ao Plágio!, como forma de passar adiante a idéia de criação e inovação.

Plágio é para perdedores.
Plágio é para gente sem caráter, sem princípios éticos e morais.
Plágio é roubo. É crime.
E merece punição.

Quem plagia não apenas rouba a idéia de outrem, como também rouba a dedicação, as horas insones de trabalho, os momentos de angústia dos bloqueios e tudo que envolve o processo criativo. Exceto o prazer da criação. Um plagiador jamais saberá a sensação de dever cumprido, o gosto da realização pessoal ao finalizar uma obra.


Esta campanha é mais que um movimento de revolta contra os plagiadores, é também uma oportunidade de reflexão dada a estes.

Qual o sentido de fingir saber algo que não se sabe?
Fingir ter feito algo que na verdade não fez?
Por que plagiar quando se pode criar?

A seguir, o link de alguns blogs interessantíssimos que deram início e prosseguiram com a campanha.
Participe da campanha e divulgue a idéia: Vamos ter idéias!