quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Já é Natal...




Então é natal. Mais uma vez, desde aquele primeiro, lá no estábulo, na manjedoura, com uma Estrela bonita brilhando no céu e a Luz do Mundo nascendo na Terra.
Eu, é claro, não acompanhei tudo de pertinho, não me afligi com Maria e as dores do parto, não senti a mesma expectativa que José, também não ouvi o primeiro choro do Verbo que se fez carne. Mas hoje, mais de dois mil anos depois, eu entendo um pouco e compartilho com eles o momento de sublime alegria daquele primeiro natal.
Chegou, enfim, Jesus Cristo. O Deus que, por amor a nós, se faz homem.
Para nossa salvação.

É difícil, para quem ainda não compartilha esse amor, compreender como o natal é o momento da mais pura beleza. Mutio difícil para os que acreditam que é uma data puramente comercial, pessoas desiludidas com o real significado do nascimento do Menino Deus.

"Todos os anos somos convidados a resgatar o sentido pleno do Natal de Jesus, para vivê-lo como cristãos e cristãs, fugindo à mentalidade cada vez mais paganizada de nossa época. Não nos deixemos infectar ou contaminar pelo vírus do consumismo e do materialismo. Infelizmente, antes mesmo de iniciarmos o tempo litúrgico do Advento, enfeites natalinos e a voracidade consumista invadem nossas ruas, lojas e até nossos corações. Com isso, o Natal cristão vai-se transformando em simples recordação do nascimento de nosso Salvador."
(
Dom Nelson Westrupp) (Comunidade Católica Shalom – www.comshalom.org)

Para aqueles que não sabem, explico: o natal se faz no coração de cada um, independente da banalização da data, da comercialização dos sentimentos. O verdadeiro natal não precisa de bolas festivas e presentes com embrulhos chamativos. Cristo nasceu numa manjedoura, sem qualquer luxo. Por que, então, não oferecer-lhe seu coração para que possa renascer neste natal?

Quando a chama da esperança renasce, o desejo por um mundo de paz se faz mais forte, quando o amor ao próximo é verdadeiramente acolhido em nossos corações.

"O Natal é festa de presentes, pequenos gestos de amor. Para lembrar o maior momento da história da humanidade, o grande acontecimento da manifestação do amor de Deus que veio estar conosco, se fez presente para nós. O presente maior é a presença. Num mundo de trevas surgiu uma luz."
(Comunidade Católica Shalom – www.comshalom.org)

Então, chame de natal todo o dia em que você deixa o amor de Deus nascer em você, mas não se esqueça desta data importante.
Não esconda sob as sacolas de compras o verdadeiro motivo da grande festa que é o Natal: Jesus Cristo, 100% Homem e 100% Deus, o Príncipe da Paz, a Luz do Mundo, o Salvador.



Ps:para maiores reflexões sobre o sentido do natal (e também para fazer mais presente a palavra de Deus em sua vida) recomento o site http://laravazz.wordpress.com/ (Sintonia).


Feliz Natal para todos vocês.
E lembrem-se que o protagonista da festa não é o Papai Noel. Nem o Peru.
Que neste Natal vocês possam olhar para o verdadeiro motivo da celebração, para o aniversariante: Jesus!