quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Incomum

O amor não é algo tão normal!

Há uma alegria sem juízo
Que toma conta de mim

Cada vez que penso em você,

Num fluxo sem início ou fim.


Há uma tristeza pulsante

Que dilacera de amor o meu peito

Sempre que me invade a lembrança

Dos nossos momentos perfeitos.


É no mínimo estranho,

E também desconcertante,

Saber que o nosso amor

É uma aventura inconstante.


É tudo tão tresloucado

No nosso amor incomum

Que até mesmo nossos corações

Batem como se fossem um.


E tua dor é minha dor

E em meu peito bate tua saudade

E em nossos olhos, como num espelho,

Brilha a mútua felicidade.


Até mesmo estes versos

Parecem um tanto incoerentes

Falando de alegria e dor

Sentimentos tão diferentes.


Se, contudo, assim não fosse

Essa inconstância incomum,

Tudo faria sentido

E não haveria amor algum.


Pois ainda que complicado,

Doloroso na saudade,

Somente aquilo que não se entende

É amado de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário